IDados em manchete no jornal O Estado de S. Paulo: desemprego dos pais forçam entrada de dependentes no mercado de trabalho

Jovens entram cada vez mais cedo no mercado de trabalho para compensar perda de renda familiar.

380
dependentes no mercado de trabalho

O jornal O Estado de S. Paulo publicou no último domingo, dia 05 de janeiro, uma reportagem que teve como fonte um levantamento realizado pelo pesquisador Bruno Ottoni, da consultoria IDados. A matéria mostrou que o desemprego dos pais empurra filhos mais cedo para o mercado de trabalho.

O estudo, feito com base em dados da Pnad Contínua, do IBGE, mostra que a taxa de participação de dependentes no mercado alcançou 60,1% no terceiro trimestre de 2019, bem acima do que foi registrado em 2014, antes da recessão, quando os dependentes eram 55,8%.

Leia também: MENORES DE IDADE NO MERCADO DE TRABALHO

O especialista identificou que “a participação dos mais jovens aumentou quase três pontos porcentuais desde a recessão; a de mulheres, quatro pontos porcentuais. A família precisou se reorganizar para tentar se manter”.

Ottoni afirma que a falta de experiência e a necessidade forçam os dependentes a trabalharem no mercado informal. “Quando se é jovem e é preciso procurar trabalho nessas condições adversas, alguns são obrigados a parar de estudar. Esse trabalhador deixa de acumular capital humano e só consegue vagas de baixa remuneração”, explica.

Leia a reportagem completa clicando aqui.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui