IDados no jornal O Estado de S. Paulo: Pandemia trava emprego para trabalhadores com mais de 50 anos

Crise causada pela covid-19 reduziu oferta de vagas para esse público, que inclui o 'grupo de risco' para a doença, e levou a demissões.

685
mais de 50 anos

O pesquisador Bruno Ottoni, da consultoria IDados, foi entrevistado pela jornalista Idiana Tomazelli para uma reportagem veiculada no Estado de São Paulo.

De acordo com a matéria, os trabalhadores com mais de 50 anos têm dificuldade de se colocarem no mercado de trabalho e essa situação foi agravada pela pandemia de Covid-19.

O motivo, segundo o economista Bruno Ottoni, é que há risco para a empresa e para a pessoa: “a empresa não quer contratar um indivíduo que pode pegar a doença, ir parar no hospital. E a empresa também tem riscos, pensando de uma forma mais fria e calculista. Você contrata uma pessoa, tem todo o custo de procurar, encontrar a pessoa certa, e essa pessoa fica doente e sai”, explica.

Leia também: Volta da procura por trabalho vai impulsionar desemprego no início de 2021

O especialista afirma ainda que a população com 60 anos ou mais é o segundo grupo mais afetado pela pandemia, atrás apenas dos jovens com menos de 24 anos. O nível de ocupação, medida que considera a população empregada em relação ao número de pessoas em idade ativa na faixa etária, caiu 11,2% para pessoas de 60 a 64 anos no segundo trimestre do ano anterior igual período de 2019. Para pessoas de 65 anos ou mais, o tombo foi de 15,4%, segundo dados do IBGE.

Para Ottoni, “a taxa de desemprego deve aumentar, porque nós postergamos a aposentadoria desses indivíduos, que não poderão sair do mercado de trabalho e terão de continuar procurando”, diz.

A reportagem na íntegra pode ser lida aqui.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui