Desempenho em Matemática no PISA por nível socioeconômico

227

Por Guilherme Hirata, pesquisador do IDados

Este mês, em mais de 80 países, serão aplicadas as provas do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, o PISA. No Brasil, cerca de 18 mil estudantes de 15 anos de idade (nascidos em 2002) devem realizar as provas nas áreas de Ciências, Linguagem e Matemática. Não é novidade que o Brasil está entre os países com pior desempenho no PISA (leia aqui). Neste post, analisamos o desempenho dos alunos brasileiros em Matemática de acordo com o nível socioeconômico, medido por meio da escolaridade da mãe.

A figura abaixo mostra a distribuição das notas em Matemática para alunos cujas mães têm no máximo o ensino fundamental completo (curva sólida azul) e para alunos cujas mães têm ao menos o ensino superior completo (curva tracejada vermelha). A linha vertical sólida indica a média dos alunos no primeiro caso, enquanto a linha vertical tracejada indica a média para o segundo caso.

A diferença entre as médias dos dois grupos é grande – cerca de 76 pontos (um desvio-padrão no PISA equivale a 100 pontos). No entanto, vemos que há uma grande sobreposição das distribuições, ou seja, há muitos alunos filhos de mães pouco escolarizadas com o mesmo desempenho de alunos filhos de mães muito escolarizadas.

Além disso, nota-se que há uma parcela considerável de alunos filhos de mães pouco escolarizadas com nota acima da média dos alunos cujas mães têm ensino superior – 14,3%, para ser mais exato (área abaixo da curva sólida e à direita da linha vertical tracejada).

Da mesma forma, há muitos alunos filhos de mães muito escolarizadas com desempenho abaixo da média dos alunos cujas mães completaram apenas o ensino fundamental – 22,3% (área abaixo da curva tracejada e à esquerda da linha vertical sólida).

Diz-se, de forma anedótica, que para prever o desempenho escolar basta verificar a escolaridade da mãe, o que, de certa forma, é corroborado pela figura. Todavia, o que o gráfico sugere é que há outros fatores que contribuem para o desempenho (por exemplo, esforço, qualidade do professor, gestão escolar etc.). Um dos grandes desafios da pesquisa em educação é justamente identificar a contribuição de cada um deles.

Figura 1 – Distribuição das notas de matemática no PISA por nível de escolaridade da mãe – Brasil 2015

grafico

Fonte: PISA 2015. Elaboração Idados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui