Efeitos da crise sobre a distribuição de renda do trabalho

Os trabalhadores mais ricos passaram a deter proporções maiores de toda a renda do trabalho, enquanto os mais pobres viram sua fração da renda diminuir.

689
efeitos da crise

A crise econômica que atingiu a economia brasileira entre 2014 e 2017 – e ainda é sentida no mercado de trabalho – trouxe diversas consequências para as condições de trabalho dos indivíduos. Por exemplo, houve um aumento na informalidade, no número de desalentados e na redução nas horas das jornadas de trabalho. Embora estes efeitos negativos sejam sentidos por todos, estas mudanças atingem os trabalhadores de modo desigual. Neste post, investigamos como a distribuição da renda domiciliar per capita entre trabalhadores mais ricos e mais pobres evoluiu nos últimos anos.

Para isso, usamos os dados da renda habitual do domicílio per capita do segundo trimestre da PNAD Contínua entre 2012 e 2019. Separamos a análise do grupo de trabalhadores mais ricos daqueles mais pobres.

A Tabela 1 reporta o estado atual da distribuição de renda domiciliar per capita entre os trabalhadores mais ricos e mais pobres. Podemos observar que uma fração pequena da população – os 20% mais ricos – se apropria de 63,73% de toda a massa de renda domiciliar per capita gerada no mercado de trabalho. Este montante ultrapassa três quartos de toda a renda gerada (75,5%), ao analisarmos a fração de renda destinada aos 30% mais ricos. Na ponta oposta, observamos que os 30% mais pobres ficam com menos de 2% de toda a renda considerada, sendo menos de 0,2% o total apropriado pelos 20% mais pobres.

Diante deste cenário, avaliaremos como evoluiu a distribuição de renda no período de 2012 a 2019 entre esses dois extremos: os 20% mais ricos e os 20% mais pobres, enfatizando os possíveis efeitos da crise econômica.

Primeiro, estudaremos como evoluiu a parcela de renda destinada aos 20% mais ricos. O gráfico 1 mostra que, até o período anterior à crise, entre 2012 a 2014, a parcela da renda habitualmente recebida pelos mais ricos estava em trajetória de queda. Entretanto, esta tendência se reverteu durante a crise econômica e nos anos posteriores a ela, com um crescimento de dois pontos percentuais na fração de renda do trabalho que ficou com os trabalhadores mais ricos.

No gráfico 2, realizamos o mesmo exercício. Porém, o enfoque recai sobre os 20% mais pobres. Estudamos como evoluiu o percentual da renda destinado ao quinto mais pobre da população. Neste gráfico, observamos, em especial após o ano de 2014 e até o segundo trimestre de 2019, uma trajetória de queda na proporção de renda que era apropriada pela metade mais pobre da população.

Estas duas séries indicam que, após o ano de 2014, houve uma inflexão na trajetória de distribuição de renda do trabalho. Ou seja, os trabalhadores mais ricos passaram a deter proporções maiores de toda a renda do trabalho, enquanto os mais pobres viram sua fração da renda diminuir. Portanto, os números indicam um aumento na desigualdade de renda do trabalho no período verificado.

[vc_raw_js]JTNDZGl2JTIwY2xhc3MlM0QlMjJpbmZvZ3JhbS1lbWJlZCUyMiUyMGRhdGEtaWQlM0QlMjI5NjM5Y2NiMi1jOWE5LTQ0NzMtYWM0ZS0xZTczMTBjYjVkYWElMjIlMjBkYXRhLXR5cGUlM0QlMjJpbnRlcmFjdGl2ZSUyMiUyMGRhdGEtdGl0bGUlM0QlMjJFZmVpdG9zJTIwZGElMjBjcmlzZSUyMHNvYnJlJTIwYSUyMGRpc3RyaWJ1aSVDMyVBNyVDMyVBM28lMjBkZSUyMHJlbmRhJTIwZG8lMjB0cmFiYWxobyUyMiUzRSUzQyUyRmRpdiUzRSUzQ3NjcmlwdCUzRSUyMWZ1bmN0aW9uJTI4ZSUyQ3QlMkNzJTJDaSUyOSU3QnZhciUyMG4lM0QlMjJJbmZvZ3JhbUVtYmVkcyUyMiUyQ28lM0RlLmdldEVsZW1lbnRzQnlUYWdOYW1lJTI4JTIyc2NyaXB0JTIyJTI5JTVCMCU1RCUyQ2QlM0QlMkYlNUVodHRwJTNBJTJGLnRlc3QlMjhlLmxvY2F0aW9uJTI5JTNGJTIyaHR0cCUzQSUyMiUzQSUyMmh0dHBzJTNBJTIyJTNCaWYlMjglMkYlNUUlNUMlMkYlN0IyJTdEJTJGLnRlc3QlMjhpJTI5JTI2JTI2JTI4aSUzRGQlMkJpJTI5JTJDd2luZG93JTVCbiU1RCUyNiUyNndpbmRvdyU1Qm4lNUQuaW5pdGlhbGl6ZWQlMjl3aW5kb3clNUJuJTVELnByb2Nlc3MlMjYlMjZ3aW5kb3clNUJuJTVELnByb2Nlc3MlMjglMjklM0JlbHNlJTIwaWYlMjglMjFlLmdldEVsZW1lbnRCeUlkJTI4cyUyOSUyOSU3QnZhciUyMHIlM0RlLmNyZWF0ZUVsZW1lbnQlMjglMjJzY3JpcHQlMjIlMjklM0JyLmFzeW5jJTNEMSUyQ3IuaWQlM0RzJTJDci5zcmMlM0RpJTJDby5wYXJlbnROb2RlLmluc2VydEJlZm9yZSUyOHIlMkNvJTI5JTdEJTdEJTI4ZG9jdW1lbnQlMkMwJTJDJTIyaW5mb2dyYW0tYXN5bmMlMjIlMkMlMjJodHRwcyUzQSUyRiUyRmUuaW5mb2dyYW0uY29tJTJGanMlMkZkaXN0JTJGZW1iZWQtbG9hZGVyLW1pbi5qcyUyMiUyOSUzQiUzQyUyRnNjcmlwdCUzRQ==[/vc_raw_js]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui