Área de Engenharia, Produção e Construção é a que mais cresceu em termos de concluintes do Ensino Superior entre 2009 e 2019

No entanto, Administração, Direito, Ciências Sociais e Negócios continuam dominando a formação de profissionais no país, com cerca de 40% dos concluintes. Cursos tradicionais como Administração e Direito são os preferidos dos brasileiros

663
construção

Este post analisa a evolução da formação de profissionais com ensino superior no Brasil por área de formação entre 2009 e 2019, último ano disponível da série histórica. A figura abaixo mostra o número de concluintes em cada ano de acordo com a área geral de formação, classificação adotada pelo Inep.

Antes de tratar dos dados da figura, é conveniente prover algum contexto. Entre 2009 e 2019, o número de matrículas no ensino superior aumentou 43%, saindo de 6 milhões para 8,6 milhões. Já o número de concluintes cresceu 30%, saindo de 960 mil para 1,25 milhão.

A figura mostra que a área de Ciências Sociais, Negócios e Direito continua dominando a formação de profissionais no país, com cerca de 40% dos concluintes. Em 2019, 478 mil alunos se formaram nessa área, um aumento de 24% em relação a 2009. Cursos tradicionais como Administração e Direito, que compõem essa área, são os preferidos dos brasileiros.

Em seguida vem a área de Educação, cujo principal curso é Pedagogia, responsável pela maior parte da formação de professores dos anos iniciais do ensino fundamental. Em 2019, 254 mil alunos se formaram, número 7% maior que o observado em 2009. Vale observar que, no mesmo período, o número de crianças de 6 a 10 anos caiu 1,8 milhão, fato que tende a reduzir a demanda por professores para anos iniciais.

O maior crescimento no período, tanto em número de concluintes como em termos de porcentagem em relação a 2009, é observado para a área de Engenharia, Produção e Construção. Houve 160 mil concluintes em 2019, número quase três vezes maior que em 2019 (56 mil). Ainda assim, esta é apenas a quarta área em número de formados.

Outra área que experimentou alto crescimento foi a de Agricultura, Silvicultura, Pesca e Veterinária. Embora represente pouco em número de concluintes (32 mil em 2019), houve um aumento de 68% no período, fato que deve estar associado ao boom do agronegócio.

O crescimento no número de profissionais mais técnicos é bem-vindo dada sua contribuição para o desenvolvimento e utilização de novas tecnologias e aumento da produtividade. Nesse sentido, não é uma boa notícia a queda de 10% no número de concluintes na área de Ciências, Matemática e Computação. Isso deve mudar com o choque da pandemia de Covid-19 que intensificou a demanda por profissionais dessa área.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui