Mais alunos na escola pública sugere uma melhora no ensino?

252

A reportagem publicada no jornal O Globo no dia 17 de janeiro sugere um movimento expressivo de migração de alunos de escolas particulares para a rede estadual de Ensino Médio do Rio de Janeiro.  Um dos comentaristas sugere que a causa dessa migração estaria ligada não apenas à crise econômica, mas também à qualidade da rede pública, usando como argumento os indicadores do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Visto isso, um dos objetivos deste post é verificar se os dados disponíveis permitem essa interpretação, analisando a Prova Brasil, um dos componentes do IDEB.

A Figura 1 apresenta a evolução da Prova Brasil de Língua Portuguesa e Matemática na rede privada, nos anos finais do Ensino Fundamental e Médio, bem como da rede estadual de Ensino Médio entre 2005 e 2015 das escolas no estado do Rio de Janeiro.  Em Matemática, podemos observar uma pequena melhora dos alunos da rede estadual, com queda nas duas últimas avaliações. Nas escolas privadas, ao contrário, houve uma queda acentuada desde 2009.  Em Língua Portuguesa, há também um aumento expressivo dos resultados da rede estadual até 2013, com ligeira queda na última prova.  A rede privada foi no sentido contrário, piorando desde 2009 e apresentando leve melhora na última prova.

Em síntese, de fato houve redução da diferença entre as duas redes, porém as diferenças ainda são marcantes e elas se reduziram muito mais pela piora da rede privada do que pela melhora da rede pública.  Os dados também mostram que, apesar das melhoras, o desempenho dos alunos do terceiro ano do Ensino Médio público ainda é inferior ao dos alunos do nono ano do Ensino Fundamental privado.

Assim, as evidências mostram que a interpretação de que a qualidade da rede pública seja um fator relevante para explicar a migração dos alunos da rede privada para a rede pública não se sustenta sob a ótica de análise da Prova Brasil.

Figura 1 – Desempenho dos estudantes na Prova Brasil

figura-1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui