O aumento da desigualdade no acesso ao ensino superior

361

Por Talita Mereb

Desde 2002 vêm sendo adotadas no país medidas conhecidas como ações afirmativas no processo de admissão de alunos no ensino superior.

Neste post, analisamos a evolução do percentual, no ensino superior, de jovens brancos e amarelos – chamados de maiorias, e o de jovens negros, pardos e indígenas – chamados de minorias.

O gráfico abaixo mostra que aumentou o percentual de jovens dos dois grupos no Ensino Superior.

No grupo de jovens brancos, o aumento foi de aproximadamente 20 pontos percentuais, passando de 7,3% em 1992 para 26,9% em 2017.

Já no grupo de jovens negros, o aumento foi menor do que 15 pontos percentuais, passando de 1,5% em 1992 para 14% em 2017.

Assim, embora a taxa líquida de matrículas de jovens do grupo de minorias tenha aumentado substancialmente, a taxa líquida dos jovens das maiorias aumentou ainda mais, o que resulta em um aumento da desigualdade entre os grupos nas duas últimas décadas.

Figura 1 – Taxa líquida de matrículas no Ensino Superior por jovens de 18 a 24 anos, por grupo de cor/raça – Brasil 1992 a 2017

grafico

Fonte: Pnad e Pnad contínua, IBGE. Elaboração: própria autora/IDados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui