Os efeitos da crise na renda dos domicílios brasileiros

381
crise econômica

Os efeitos da pandemia de Covid-19 sobre o mercado de trabalho brasileiro são gigantescos. A cada mês, o nível de ocupação bate recordes negativos, e a expectativa é que o PIB brasileiro caia mais de 4% em 2020. Neste post, com base nos microdados recentemente divulgados da PNAD Contínua 3º trimestre, avaliamos os efeitos mais recentes da crise na renda dos domicílios brasileiros.

Usando a característica de painel da PNAD-Contínua (que permite seguir os domicílios por até 5 trimestres), comparamos a situação dos mesmos domicílios em dois períodos no tempo: no 3º trimestre de 2019, antes de a crise chegar ao Brasil, e no 3º trimestre de 2020, dado mais recente.

Constatamos que 51% de todos os domicílios brasileiros enfrentaram algum nível de queda de renda entre os dois anos. No Gráfico 1, vemos que esta proporção variou conforme as faixas de renda do domicílio. Pouco menos de 50% dos domicílios mais pobres (com renda até 1 Salário Mínimo no 3º tri/2019) tiveram algum decréscimo de renda no período. Essa proporção sobe conforme nos movemos para as faixas mais ricas, chegando ao valor de 85% dentre os domicílios com renda superior a 5 Salários Mínimos.

Embora esses valores pareçam superiores para domicílios mais ricos, também é importante diferenciar o tamanho da queda de renda encontrada.

Na média, os domicílios que tiveram queda perderam 67% de sua renda neste período, mas a grande maioria deles está concentrada em um grupo: aqueles que perderam 100% de sua renda. E o resultado, nesse caso, foi pior para os mais pobres.

Os Gráficos 2 e 3 mostram como foi distribuída essa queda por proporção da renda do domicílio. No Gráfico 2, temos a distribuição dos domicílios da faixa de renda de até 1 Salário Mínimo. Vemos que, dentre os que tiveram diminuição de renda, mais de 70% enfrentaram uma queda total de renda (-100% do que ganhavam no 3º tri/2019). Já no Gráfico 3, mostramos a mesma análise, mas para o grupo mais rico (5 Salários Mínimos ou mais). Nesse grupo, as quedas foram bem menos acentuadas: menos de 35% perderam a totalidade de sua renda no período.

A conclusão é que todos os domicílios brasileiros sofreram com a pandemia do Covid-19. Dentre os mais pobres, a maioria não enfrentou uma diminuição de renda, mas aqueles que enfrentaram foram muito prejudicados. Já os domicílios mais ricos viram sua renda diminuir, mas não consideravelmente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui