A escolha do gestor escolar

Lideranças são importantes na condução de um país, de uma empresa, de um clube de futebol, de uma escola. A forma de escolha depende de cada cargo. Poucos defenderiam um processo seletivo baseado apenas em critérios técnicos para escolher um presidente. Este post discorre sobre a forma de seleção de diretores escolares que, em última instância, contribuem, inclusive, para formar presidentes.

A tabela abaixo foi elaborada a partir de dados da Prova Brasil e do Censo da Educação Básica, ambos de 2019. A primeira informação contida na tabela é a distribuição das escolas de acordo com a forma de escolha do diretor para cada etapa de ensino (uma mesma escola pode conter alunos de mais de uma etapa e, neste caso, aparece em mais de uma coluna).

No 5º ano, em que a maior parte das escolas é municipal (77%), mais da metade dos diretores ascenderam ao cargo por meio de indicação política. Somando as escolas em que a escolha ocorreu por eleição, três em cada quatro escolas não utilizaram explicitamente critérios técnicos na escolha.

Nas escolas que oferecem o 9º ano, em que a administração é mais dividida (53% municipal), o cenário é semelhante: 74% das escolas escolheram o diretor por indicação ou eleição, sendo que a indicação ocorreu em menos escolas relativamente ao 5º ano.

Já no ensino médio, onde praticamente todas as escolas são estaduais (96%), o uso de processo seletivo ou concurso público aumenta, mas ainda há cerca de dois em cada três diretores que são escolhidos por indicação ou eleição.

A questão é se a forma de escolha do diretor faz diferença para o aprendizado dos alunos. No ensino fundamental, o desempenho médio em matemática tende a ser melhor em escolas que selecionam o diretor via concurso público. Por exemplo, a diferença no 5º ano alcança 25 pontos em relação a escolas cujo diretor é escolhido via indicação (239 vs. 214). Essa mesma comparação no 9º ano (concurso vs. indicação) resulta em 13 pontos de diferença favorável ao concurso público. Já no ensino médio, há pouca diferença entre as escolas. A exceção são as escolas cujo diretor é indicado, que, em média, apresentam pior desempenho que as demais.

Contudo, a questão não é tão simples quanto parece, pois o desempenho escolar pode ser causa ou consequência da forma de escolha do diretor (escolas piores podem ser aquelas que decidem escolher diretor por indicação). O cargo de direção de uma escola é mais técnico ou político? O que é melhor para o aluno? As respostas deveriam nortear o formato da escolha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.