Como têm evoluído o desempenho médio e o dos melhores alunos de acordo com o SAEB?

263
SAEB

Quando se analisa o desempenho dos alunos, o mais comum é observar o comportamento na média e captar um cenário mais geral. Este post, além de analisar a evolução entre 2005 e 2019 dessa média, também se propõe a observar a evolução no mesmo período da nota necessária para um aluno estar entre os 1% melhores, de acordo com o SAEB – Sistema de Avaliação da Educação Básica.

A figura abaixo mostra a média dos alunos, a nota necessária para estar entre os 1% melhores e as diferenças entre ambas no exame de matemática do SAEB em 2005 e 2019, considerando as redes pública e privada no 5° e 9° do ensino fundamental e no 3° ano do ensino médio. Os dados apontam que as diferenças entre os níveis de ensino têm diminuído e que a distância entre a nota média e a nota dos melhores alunos também caiu.

No 5° ano, o resultado médio em matemática no SAEB melhorou cerca de 45 pontos, passando de 182 para 227. No 9° ano, as notas médias passaram de 239 para 263 pontos, uma diferença de 24 pontos. No 3° ano do ensino médio, a média melhorou 8 pontos, passando de 271 para 279 pontos. Assim, a diferença entre o 5° e o 9° ano, que era de 57 pontos em 2005, passou para 32 em 2019. Já a diferença entre o 9° e 3°ano passou de 35 para 17 pontos.

Em relação aos melhores alunos, no 5° ano, a nota necessária para ser considerado um dos melhores alunos foi de 302 pontos em 2005 e de 338 pontos em 2019, uma evolução de 36 pontos. No 9° ano, as notas dos 1% melhores passaram de 369 para 379, 10 pontos  a mais. No 3° ano do ensino médio, a nota necessária para entrar nesse grupo diminuiu 7 pontos – em 2005, eram necessários 424 pontos e em 2019, 416 pontos. Logo, enquanto no 5° e 9° ano a evolução é positiva, no ensino médio ficou mais fácil ficar entre os melhores.

Por último, comparando os dois grupos, vemos que as diferenças em termos absolutos entre a nota média e a nota necessária para se estar entre os melhores alunos também têm diminuído, o que sugere que o espaço para a melhoria dos 1% melhores alunos tem se reduzido. No 5° ano, a diferença diminuiu 10 pontos – em 2005 era de 119 e passou para 110 em 2019. No 9° ano, a diminuição foi de 13 pontos, passando de 129 para 116. Por fim, no 3° ano, a diferença passou de 152 para 136, uma redução de 16 pontos.

Saeb

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui